Sidebar

26
Seg, Jun

Hospital Belo Horizonte realiza a primeira cirurgia de Hérnia por Videolaparoscopia

A medicina evolui o tempo inteiro. Desde os primórdios até a presente data muitos métodos foram avaliados, aperfeiçoados e em alguns casos, até descartados. Você consegue imaginar que em pouco tempo atrás o mercúrio, substância química altamente radioativa que pode até matar, era utilizado como um antisséptico para tratamento de doenças de pele, incluído até mesmo em sabonetes e outros produtos?

E como não poderia ser diferente, todo o Corpo Clínico do Hospital Belo Horizonte acompanha essas mudanças e evoluções. O exemplo mais recente foi a primeira cirurgia de Hérnia realizada no Hospital Belo Horizonte através do método videolaparoscópico. Esse método substitui o método convencional, e evita que a técnica utilizada seja a de abrir o paciente para corrigir a falha.

O procedimento foi realizado pela equipe de Cirurgia Geral do Hospital Belo Horizonte, composta pelo Dr. Aguinaldo Eustáquio Passos Botelho, Dr. Carlos Eduardo de Castro Areal e Dr. Rodrigo Martins Sales, todos especialistas em Cirurgia Geral pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Associação Médica Brasileira e Membros titulares do Colégio Brasileiro de Cirurgiões-CBC. “No nosso serviço de cirurgia, eu, Dr. Rodrigo e Dr. Aguinaldo estamos com bons resultados para tratamento de hérnia inguinal por via laparoscópica, abordagem pré-peritoneal (TAPP), as quais recomendamos principalmente para hérnias inguinais recorrentes após reparo aberto convencional” afirma Dr. Carlos Eduardo.

A hérnia é quando uma estrutura, órgão ou seu revestimento, passa por uma parede ou cavidade que deveria servir para contê-la. Tal situação gera dor no local e um inchaço na área afetada. “É comum os pacientes relatarem um 'caroço' na região inguinal, principalmente após esforço físico e algumas vezes dores no local”, completa Dr. Rodrigo. Existem dois tipos de hérnias inguinais, aquelas que são mais comuns nas crianças pela persistência do conduto peritoneovaginal, as Indiretas e aquelas mais comuns nos adultos, pela fraqueza da parede Inguinal, chamadas de Diretas.

A técnica por vídeo para esse procedimento é recente. "Na cirurgia videolaparoscópica observamos menor incidência de infecção de pele e hematoma, menos dor pós-operatório e crônica, e rápido retorno às suas atividades habituais", argumenta Dr. Carlos. "Nesse momento de crise em que vivemos, diminuir o período de inatividade profissional vem se tornando cada vez mais uma preocupação para nossos pacientes", completa o cirurgião.  

A partir do momento em que é feito o diagnóstico de hérnia, deve-se pensar no tratamento cirúrgico, seja convencional ou laparoscópica, deixando a laparoscópica principalmente em caso de recidiva após a técnica aberta. "A técnica convencional é através de uma incisão, inguinotomia, e pode ser com ou sem colocação de tela. Já a técnica laparoscópica, usa três pequenas incisões para passagem do vídeo, das pinças e colocação de tela", explica Dr. Aguinaldo.  

Para um cirurgião se qualificar a fazer Herniorrafia por vídeo é necessária uma boa experiência em cirurgias laparoscópicas, conhecimento anatômico da região e treinamento com preceptorias. Todos esses pré-requisitos foram atendidos pela equipe, que ainda fizeram um curso de capacitação em São Paulo, onde a técnica é mais difundida.

A cirurgia foi um sucesso e a recuperação do paciente está seguindo todo o planejamento.

Para marcar consultas com os médicos acima citados, clique aqui. Você também pode agendar sua consulta pelo telefone (31) 4020-5062.

Foto (esquerda para direita): Dr. Carlos Eduardo, Dr. Aguinaldo Eustáquio e Dr. Rodrigo Martins.

 

Matéria: Guilherme Guerra (Gestão do Corpo Clínico)

Edição: Luana Melo (Comunicação)